sábado, 4 de outubro de 2014

Dune

"when a person needs new experiences... they draw something deep inside, allowing him to grow. Without change, something sleeps inside us... and seldom awakens... The sleeper must awaken."

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

domingo, 9 de outubro de 2011

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O Sul começa ao Km 95

sentado num banco, de noite, por debaixo dos Jacarandás onde a menina do filme circulava a sua bicicleta. talvez aí um pouco menos estrangeiro.

de resto, o percurso mecânico por entre as ruas claras, mesmo quando nocturnas, praças eloquentes, animadas por gente. Já passa das 23:00. árvores que cá (ou será lá) não se vêm. até nas árvores; em Lisboa sente-se o Império, ou a memória clara e languida do Império, decadente e sugestivo.
há um traço limpidamente europeu, como sentia em Itália, na escala clássica, nos sons, na massa indiferente de gente que se revessa nas calçadas.
e no entanto sou quase mero expectador cativado por entre espaços sedutores, não obstante os dias em catadupa na cidade que se expõe e não guarda nada da bruma Atlântica que ainda não sei largar.

sábado, 3 de setembro de 2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

domingo, 19 de junho de 2011

Vienna




Ainda sobre Nicholas Ray, o arquitecto que estudou com FLWright, e transformou, também ele, o curso do cinema. Mais concretamente, sobre Johnny Guitar, um western que ultrapassa largamente essa dimensão. Outros realizadores ultrapassaram a dimensão aparentemente estanque deste género, e para lá das máximas do Oeste que inundam a nossa imaginação, afinal retrataram a luta de homens contra os fantasmas de sempre: o medo de falhar , a fuga pelo alcool, o incontonável momento da verdade que sempre emergia e só poderia trazer a coragem de agir correctamente, ou a diluição pelo medo...



Porém este filme surpreende e poderia inclusivamente apresentar outro título: Vienna, o nome da protagonista feminina, que neste filme parece só poder ser a Joan Crawford...


Johnny Guitar é um western de uma cenografia rara e dramática, não prescinde da cena de assalto ao banco, ou da luta à entrada do saloon, mas trata, verdadeiramente, do amor e consequente desamor que o rodeia. E aqui Vienna assume uma dimensão invulgar no cinema, é ela o centro de toda a acção, e justamente, pois de forma quase imperturbável agrega as virtudes que parecem esboroar-se à sua volta, sem abdicar da sua condição feminina.

É uma personagem imaginada, ou antes, imaginada por um homem (Nicholas Ray) à luz da sua consciência, que se inscreve no reverso da condição de estrela intangível, de diva - solta desse pedestal, e sem abdicar da virtude e da admiração alheia, é livre, e nessa condição, verdadeiramente humana.

Johnny Guitar, de Nicholas Ray. The good stuff.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

sábado, 26 de março de 2011

"...
Yes you who must leave everything that you cannot control.
It begins with your family, but soon it comes around to your soul.
Well I've been where you're hanging, I think I can see how you're pinned:
When you're not feeling holy, your loneliness says that you've sinned.

..."


L. Cohen

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Unusual beauty




Fuck Cool.

sábado, 5 de fevereiro de 2011
















Último Tango

Já não se seguram os demónios que lançaste e afinal tão poucos compreendem. Nas conversas pequenas procuram os defeitos que exorcizem a tua mera presença. o incómodo que trazes à placidez de uma rotina diária que anula o primário, o perigo poderoso que espreita. a vida que se cumpre.

e Jeanne dizia:

The workers retire to a secret flat,
take off their overalls,
become men and women again,
and make love.

Dedicatória a pequenos pés descalços

"Tantas vezes fui à guerra que só sei é guerrear, eu gostava um destes dias de ter tempo para amar."

domingo, 23 de janeiro de 2011

Sim, somos sós até ao fim

E esta é a mais doce ilusão.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Quote

You will always find those who think they know what is your duty better than you know it. It is easy in the world to live after the world's opinion; it is easy in solitude to live after our own; but the great man is he who in the midst of the crowd keeps with perfect sweetness the independence of solitude.

Emerson

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010


sábado, 27 de novembro de 2010

Vivemos na Infância esticada à procura do tempo perdido.

domingo, 14 de novembro de 2010

domingo, 17 de outubro de 2010

Foi a saudade do teu braço
e o olhar que já da luz me dói
trabalhei sem dar pelo cansaço
horas extraordinárias, foi
um dia que passou num furacão
um furacão que se amainou, só
quando, aparte o amor
eu me vi só
atirando a moeda ao ar
diz-me que cara ou coroa
eu vou ganhar
diz-me quanto eu fiz bem
em me apostar
e que bem fiz em ter por necessárias


as horas extraordinárias





Sérgio Godinho, 1983

domingo, 22 de agosto de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

constatação

deviam ter deixado o Tricky partir o sintetizador.

sábado, 17 de julho de 2010

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Back from where I`ve started

The Stranger Song

Este blog convive com a negação de tudo o que aqui é escrito

Por vezes o sujeito é a acção, outras o outro lado do sujeito, o suporte, e fita-o. ocasionalmente um fingidor como no poema do Pessoa. Quando diz que parte, aguarda; quando diz silêncio, é ele que parte, incessantemente.
é a quase intangível paz de tudo isto que interessa, é apenas isso que interessa.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Obliquar#5

Deitada, folgas a distância entre os seios e o vestido que trazes e me incendeia.
Perco o olhar nesse espaço de arco e sombra,
e lentamente, preencho-o com duas flores silvestres que colhi.
outra no teu cabelo de Efigénia, e a que usas como brinco.

agora faz o que te pedi:
dorme em flor.

Paz contigo

AC

Da primeira adolescência até hoje

domingo, 25 de abril de 2010

sábado, 13 de março de 2010

Bill Callahan - The Wind And The Dove







SEM SAÍDA, Ensaio sobre o optimismo
Augusto Alves da Silva

domingo, 31 de janeiro de 2010

“Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança...*

A minha cartilha raramente foi a oficial, antes a única verdadeiramente real, a revelada.
JCS, a minha catequese solar, escutada no já gasto vinil trazido de Lourenço Marques pela mãos dos pais, que por cá era proibido.
Na primeira adoleslência, todo um mundo em que a complexidade e o Amor reinavam a 45 rotações, o quarto era só palavra musical, e a espaços, sereno espanto.


*... desde que me tornei homem, eliminei as coisas de crianças”

Cor 13:11

Não pregar olho


Mónica Vitti ,
em "La notte" de Antonioni

domingo, 17 de janeiro de 2010

Circadiano

Faz três gerações vivia entre o quinteiro e o açude. os perímetros eram choupos e as leiras caminhos.
O Inverno suspensão e o Verão quase luxúria.
O Outono eterno e a primeira Primavera pubescente, o corpo invernil onde rompia a esperança.



Agora mesmo, levo o Inverno das tuas mãos à estreita Primavera que as tuas pernas esmagam, e invado o Verão solto nos teus lábios.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

The queen of diamonds





can´t help seeking the upper hand.

domingo, 10 de janeiro de 2010

sábado, 9 de janeiro de 2010

In the red corner

Naquela manhã em que o calor já assolava, abraçei-te em entrar em ti, e enquanto revelava a tua nuca elevaste uma perna em L: foi nessa silhueta desenhada na luz da varanda que guardei o teu pé pendido no movimento, e o vermelho esmaltado que o rematava.

O mesmo que reencontrei de forma clara num filme do Tarantino,
e no passo acelerado da saída em escada, soube-me invariavelmente encurralado.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Esquecimento


António Macedo

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Mad Men - The Carousel

Dos melhores minutos da melhor série.

To See a World

To see a World in a Grain of Sand

And a Heaven in a Wild Flower,

Hold Infinity in the palm of your hand

And Eternity in an hour.

.

A Robin Redbreast in a Cage

Puts all Heaven in a Rage.

A dove house fill’d with doves and pigeons

Shudders Hell thro’ all its regions.

A Dog starv’d at his Master’s Gate

Predicts the ruin of the State.

A Horse misus’d upon the Road

Calls to Heaven for Human blood.

Each outcry of the hunted Hare

A fiber from the Brain does tear.

.

He who shall train the Horse to War

Shall never pass the Polar Bar.

The Beggar’s Dog and Widow’s Cat,

Feed them and thou wilt grow fat.

The Gnat that sings his Summer song

Poison gets from Slander’s tongue.

The poison of the Snake and Newt

Is the sweat of Envy’s Foot.

.

A truth that’s told with bad intent

Beats all the Lies you can invent.

It is right it should be so;

Man was made for Joy and Woe;

And when this we rightly know

Thro’ the World we safely go.

Every Night and every Morn

Some to Misery are Born.

.

Every Morn and every Night

Some are Born to sweet delight.

Some are Born to sweet delight,

Some are Born to Endless Night.

.

.

.

William Blake (1757-1827)


Stravinsky Conduz o Pássaro de Fogo

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

post perdido

escrevi mentalmente hoje pelo meio-dia um post brilhante que insiste em não se revelar novamente.
recordo apenas que no final tomava banho e logo saía à rua de gabardine.

próximo ano, s.f.f.

20.15

há por aí uma miudeca descalça with a lot of spunk que constroi mundos literários inverosíveis e lúcidos. não tem medo de nada a ser do tédio. aborreçe-se facilmente e gosta de gritar, e que o seu grito vibre e incomode a placidez convencional. e é doce por detrás da raiva.
olha-me de soslaio e recomenda-me pouco. (minha arrogância, nem me olha)

o melhor é a ambiguidade de apetecer dizer fodasse e mais tarde sorrir.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Screw you pouring rain

Embalados pela mão, a chegarem a casa:

Silenciador, do Jacinto Lucas Pires , A Tempestade de Shakespeare, e Um Homem Célebre, de Machado de Assis, tudo da Cotovia. O quadrado Azul do Almada Negreiros, edição fax-similada da Assírio.
Rhapsody in Blue de Gershwin e Mahler no. 5. The latest of Kings of Convenience.

sábado, 5 de dezembro de 2009

STRANGER

And then leaning on your window sill
he'll say one day you caused his will
to weaken with your love and warmth and shelter
And then taking from his wallet
an old schedule of trains, he'll say
I told you when I came I was a stranger
I told you when I came I was a stranger.

But now another stranger seems
to want you to ignore his dreams
as though they were the burden of some other
O you've seen that man before
his golden arm dispatching cards
but now it's rusted from the elbows to the finger
And he wants to trade the game he plays for shelter
Yes he wants to trade the game he knows for shelter.

Ah you hate to watch another tired man
lay down his hand
like he was giving up the holy game of poker
And while he talks his dreams to sleep
you notice there's a highway
that is curling up like smoke above his shoulder
and suddenly you feel a little older

LCOHEN

domingo, 11 de outubro de 2009

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

"Que as pessoas desapareçam é, no fundo, menos surpreendente do que vê-las aparecer repentinamente diante de nós, como uma oferta ao nosso coração e à nossa inteligência. Estas aparições são tanto mais preciosas quanto infinitamente raras. A maior parte das pessoas está tão perfeitamente adaptada ao mundo que se torna inexistente."*


*Christian Bobain

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

1:04

Luz no ecrã riscado, breve vibração musical


-"Não sei que se passa contigo. Vejo-te com duas pedras na mão. Senti que te perdi. Deito-me, beijo, dorme bem."

- http://www.youtube.com/watch?v=Ssiga9gs7dQ&feature=related, ou In between days no Youtube, se preferires.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

The Cure - A forest

when i was growing up (still)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

sábado, 19 de setembro de 2009

Na florista

- Só assim, não quer o ramo mais arranjado...?

- não, a natureza não é arranjada. (e pensei em ti, no movimento assimétrico do teu corpo no meu, a tua expressão desalinhada)

A florista inclinou-se em cortar os caules, e sorriu.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A linguagem é um vírus

"Paradise is exactly like where you are right now... only much, much better."

Laurie Anderson

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Nature's first green is gold
Her hardest hue to hold
Her early leaf's a flower;
But only so an hour.
Then leaf subsides to leaf.
So Eden sank to grief,
So dawn goes down to day.
Nothing gold can stay.



Robert Frost, 1923

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Perdi-te hoje. e sinto que não te reencontrarei.

De noite, ao volante, fiz a estrada que repito nos dias, e era opaca e velha.
Como se tivessem passado vinte anos.

there´s still time to break the law

Kentucky Avenue,
Blue Valentine, 1978

Elogio à Imaginação


Hayao Miyazaki´s Ponyo,
num cinema perto de si.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Que dizes tu do Amor que não existe

When You are Old




When you are old and gray and full of sleep

And nodding by the fire, take down this book,

And slowly read, and dream of the soft look

Your eyes had once, and of their shadows deep;


How many loved your moments of glad grace,

And loved your beauty with love false or true;

But one man loved the pilgrim soul in you,

And loved the sorrows of your changing face.


And bending down beside the glowing bars,

Murmur, a little sadly, how love fled

And paced upon the mountains overhead,

And hid his face amid a crowd of stars.



William Butler Yeats. b. 1865





Muitos amaram os teus dias de alegre graça

e amaram a tua beleza com amor verdadeiro ou falso,

mas um homem amou a tua alma peregrina

e amou as mágoas no teu rosto que mudava.

terça-feira, 14 de julho de 2009